Notícias

Lançamento nacional!

  Para Onde Foram as Andorinhas? 22 minutos | 2015 | Brasil Direção: Mari Corrêa /  Roteiro: Paulo Junqueira e Mari Corrêa Coprodução: Instituto Catitu e Instituto Socioambiental

Manual das Crianças Huni Kuĩ

  Foi no embalo do som do buzo e de muita animação, que fizemos o MANUAL DAS CRIANÇAS HUNI KUĨ pelo projeto Tecendo Saberes. Nele falamos do que conhecemos de pertinho: a vida na nossa aldeia, na Terra Indígena Kaxinawá do Rio Humaitá, no Acre, perto da fronteira com o Peru. Mostramos um pouco quem somos e do que gostamos, as histórias que ouvimos dos nossos avós, a nossa língua, as nossas brincadeiras, o nosso jeito de viver. Depois de mostrar o livro e os vídeos do nosso manual para as crianças da cidade de Rio Branco fizemos um festão na aldeia para comemorar. Para você que não foi até lá, aqui você pode assistir os nove curta-metragens que fazem parte do Manual. Veja também o vídeo do lançamento na escola com a apresentação das crianças Huni Kuĩ...

Rodas de Conversa das Mulheres Xinguanas

Em 2014 foi realizada uma ampla discussão com as mulheres da Terra Indígena do Xingu para fortalecer sua organização, a Associação Yamurikumã das Mulheres Xinguanas. Os encontros ocorreram no baixo, médio e alto Xingu nas aldeias Sobradinho (etnia kawaiwete) , Kwarujá (etnia kawaiwete), CTL Pavuru com o apoio da Aldeia Arayo (etnia ikpeng) e Aldeia Yawalapíti (etnia yawalapíti). Cerca de 350 mulheres se reuniram para discutir os problemas que elas e suas comunidades estão vivendo e pensaram estratégias para enfrentá-los juntas.   Por que as mulheres xinguanas se organizaram? As mulheres xinguanas se uniram para ter mais voz e participação nas decisões sobre temas importantes que afetam suas vidas, como o projeto de turismo nas aldeias, a construção de hidroelétricas, estradas e outros projetos que têm impacto sobre o meio ambiente, a cultura e a saúde dos povos do Xingu.  Também abordaram problemas ligados ao convívio com as cidades do entorno, como a alimentação com os produtos da cidade, a saúde, o lixo não orgânico, a prostituição, o alcoolismo, a violência e o uso indevido da imagem das mulheres. As xinguanas buscam ter mais acesso à informação, ao apoio financeiro e assessoria técnica para realizar projetos que atendam seus interesses. O Instituto Catitu e a Associação Yamurikumã querem, por meio desse projeto, fortalecer a união das mulheres xinguanas das aldeias com as que vivem nas cidades, para que possam defender suas ideias e seus direitos dentro e fora da Terra Indígena.   As rodas Para que as mulheres de todas as regiões pudessem participar, percorremos o rio Xingu do norte ao sul da Terra Indígena durante 30 dias em...

Associação Yamurikumã: fortalecendo as mulheres do Xingu!

Nós do Instituto Catitu junto com a Associação Yamurikumã, queremos comemorar o Dia Internacional da Mulher Indígena com vocês que reconhecem a importância delas, não só dentro de suas sociedades como para o planeta. Você pode nos apoiar!

Retrospectiva 2013

Em 2013 o Instituto Catitu realizou diversas atividades relacionadas aos projetos que desenvolve, buscando sempre dar voz e visibilidade aos diferentes povos indígenas com os quais atua , através do uso de ferramentas e linguagens contemporâneas de produção cultural. Saiba mais…