Encontro das Mulheres Xinguanas ganha vídeo em quatro línguas indígenas diferentes

IMG_1412-1024

Com o objetivo de fortalecer o protagonismo das mulheres da Terra Indígena do Xingu, a Associação Yamurikumã realizou o Encontro das Mulheres Xinguanas em outubro de 2013, em Canarana, no Mato Grosso. O encontro reuniu 250 mulheres de 16 etnias, e contou com o apoio do Instituto Catitu, da ATIX, SPDM/UNIFESP, FUNAI, o Instituto Socioambiental e a Rainforest do Japão. O encontro foi inteiramente filmado por Yuré e Kujãesage, realizadoras kawaiweté formadas nas oficinas de audiovisual do Instituto Catitu. Fez parte da pauta discutir o papel que a Associação Yamurikumã deve exercer para que as mulheres xinguanas tenham mais força política e participação nas instâncias de decisão dentro e fora da Terra Indígena do Xingu. Evidenciou-se como alguns dos motivos para a exclusão das mulheres o pouco acesso à informação, à formação e a pouca articulação entre elas. Sendo um tema bastante novo para a maioria delas, as lideranças presentes recomendaram aprofundar a discussão nas aldeias e envolver mais mulheres. Assim nasceu a ideia do projeto “Rodas de Conversa das Mulheres Xinguanas”.

O projeto pretende reunir mulheres de todas as etnias por meio de 5 rodas de conversa itinerantes nas aldeias do Xingu. Nelas serão discutidas as principais preocupações das mulheres e definidas estratégias de atuação para fortalecer a participação feminina nas discussões e decisões sobre temas importantes que afetam suas vidas e as comunidades, como é o caso do atual projeto de turismo em áreas indígenas, a construção de hidroelétricas e estradas nas proximidades do território.

 

O vídeo do Encontro foi editado com mulheres das etnias Kuikuro, Kamaiurá, Kawaiweté, Yawalapiti e Mehinako, que primeiro traduziram as falas em suas línguas e em seguida gravaram suas vozes para criar as versões. Um trabalho exigente e minucioso cujo objetivo é informar as comunidades e as mulheres que não estiveram presentes sobre as discussões e propostas apresentadas. O vídeo também pretende mobilizá-las para o projeto das rodas de conversa que deve ser realizado em 2014. O vídeo está agora sendo finalizado e será distribuído para as comunidades xinguanas em breve.

A Associação Terra Indígena do Xingu (ATIX) foi uma grande parceira oferecendo espaço em sua sede em Canarana para a edição do vídeo, assim como o realizador Kamikia Kisedje, que emprestou sua ilha de edição para ajudar a equipe a concluir o trabalho.

Por meio deste projeto o Instituto Catitu busca contribuir com o fortalecimento do protagonismo das mulheres xinguanas.